Internet das Coisas revoluciona a automação predial

Atualmente, a tecnologia está presente em todos os lugares, e está contribuindo inclusive, com o desenvolvimento de edifícios mais inteligentes. A conexão entre equipamentos e sistemas, conhecida como IoT, Internet das Coisas, tem possibilitado a criação de prédios com instalações e sistemas tecnológicos altamente automatizados, capazes de interagirem entre si.

Cada vez mais, edifícios brasileiros e internacionais contam com recursos avançados de tecnologia visando fazer uma manutenção mais econômica, ou seja, reduzindo despesas, e diminuindo o impacto ambiental com a otimização de recursos energéticos.

Cerca de 90% do custo com energia de um prédio está ligado ao gasto com iluminação e ar-condicionado, e ter um sistema que permite monitorar os edifícios corporativos, desligar as luzes ou climatizar um ambiente enquanto estiver desocupado, traz além de eficiência energética, uma redução de gastos.

Além da otimização de infraestrutura, a IoT pode contribuir com a redução do consumo de água, e até mesmo com sensores de temperatura, pode monitorar um ambiente e tomar ações antecipadas relacionadas ao ar condicionado, aumentando ou diminuindo a temperatura de acordo com as condições do tempo no exato momento de uso.

As aplicações em IoT no setor de automação predial estão habilitando sistemas operacionais a fornecerem informações para tomada de decisões importantes. A conexão entre as coisas cria um banco de dados, e por meio de plataformas de monitoramento e relatórios, faz com que as informações coletadas sejam usadas em tomadas de atitudes baseadas em históricos, estatísticas ou experiências adquiridas.

Investir em tecnologia e inovação é o caminho para as empresas que querem mais eficiência, redução de custos desnecessários e menos impacto ambiental com o consumo racional de água e energia. Segundo projeções da empresa Gartner, que entre as atividades, realiza pesquisas acerca do mercado de TI., até 2020 cerca de 30 bilhões de “coisas” estarão se comunicando via internet.

Fonte: Portal Computer World, site Canal Tech e site Decision Report



Deixe uma resposta