Hospital Pro Criança faz implante não cirúrgico de válvula pulmonar

Um procedimento que evita que médicos tenham que abrir o esterno, osso do tórax do paciente, para a colocação de uma válvula pulmonar no coração, foi realizado no começo do mês de abril, pela primeira vez, no Hospital Pediátrico Pro Criança Jutta Batista. A instituição, que pertence ao projeto Pro Criança Cardíaca, tornou-se a primeira no estado do Rio qualificada para realizar o implante, que possibilita que o tempo de internação do paciente seja bem mais curto.

A cardiologista, fundadora e presidente do Pro Criança Cardíaca, Rosa Celia Pimentel Barbosa, afirma que os pré-requisitos necessários, como o volume de cirurgias e de cateterismos realizados, e a infraestrutura hospitalar completa da instituição, fizeram com que o hospital se qualificasse para realizar o procedimento. O implante foi feito em uma jovem com síndrome de Down, de 22 anos, que apresentava defeito do septo atrioventricular e Tetralogia de Fallot.

O método que envolve cateterismo, obteve aprovação na Europa em 2006, nos EUA, em 2010 e chegou a São Paulo só em 2013. Os pacientes geralmente têm uma história de vida complicada, e acabam passando por diversas cirurgias, então o implante evita que a criança ou adolescente tenha que passar por mais uma delas, segundo Carlos Pedra, que supervisionou a equipe médica durante o procedimento. Ele é diretor de hemodinâmica de cardiopatias congênitas do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e do Hospital do Coração, ambos em São Paulo.

O Hospital Pediátrico Pro Criança Jutta Batista, inaugurado em 2014, foi construído para garantir continuidade e sustentabilidade ao Pro Criança Cardíaca, projeto que já atendeu mais de 10 mil crianças cardiopatas de baixa renda. Com uma unidade pediátrica completa, busca garantir, pelo atendimento via rede privada, cirurgias gratuitas de meninos e meninas atendidos pelo Pro Criança Cardíaca.

A Microblau tem parceria com a instituição desde julho de 2011, e já contribuiu com um melhor controle e monitoração da CAG e dos fancoils do sistema de ar condicionado do hospital, além da supervisão dos níveis dos reservatórios de água potável e dos ventiladores de exaustão. Implantada, a solução Exxa-SL, controla e monitora a qualidade do ar de ambientes cirúrgicos, e por uma Interface homem-máquina fixada na parede das salas, é possível que a equipe médica possa visualizar todo o sistema de forma imediata.

Trabalhando junto com o Hospital Pro Criança, as obras realizadas pela Microblau contribuem com a segurança e preservação da vida dos pacientes.

Foto: Divulgação

Fonte: Portal O Globo



Deixe uma resposta